Deixe um comentário

Curso de Violão e Guitarra – Braços empenados e tensores

Guitarras mais modernas, com 24 casas, tipo Jackson e Ibanez, têm um braço “fino” e, como qualquer guitarra, sofrem muito a influência da temperatura, sobretudo aqui no Brasil, onde, num só dia, faz calor e frio, faz sol e chove, as guitarras demoram um tempo para se estabilizarem. O braço da guitarra é uma espécie de termômetro; basta uma mudança de temperatura, para ele também se alterar. E não existe nada mais frustrante e desagradável do que um braço “empenado”. Portanto, aqui vão algumas dicas para saber se o braço de sua guitarra está ou não empenado.

Alinhe a guitarra de modo que se possa vê-la numa linha reta, podendo-se notar uma curva, para frente ou para trás, o braço está “empenado”. Um outro detalhe: se um lado estiver mais empenado que o outro, o braço está “torcido”! Um grave problema. Outra forma usada consiste em pressionar, ao mesmo tempo, a primeira e a última casa do braço da guitarra .Olhando para o centro do braço, se a corda estiver alta, o braço está empenado.

Corrigir esse problema até que é simples, mas deve-se tomar cuidados importantissimos!! Por isso é importante conhecer bem o instrumento, para que outros problemas sejam evitados. Por exemplo, se o tensor já foi por demais utilizado – porque também ele tem um limite – está mais do que na hora de trocá-lo ou comprar outro braço. (Traumatico não??)

O “Tensor” é uma espécie de barra de ferro que, localizando-se no interior do braço da guitarra, mais especificamente entre a escala e a parte de trás do braço, tem a função de tensioná-lo. A ponta do tensor (bucha) geralmente fica no “head stock” da guitarra, mas em algumas delas, pode localizar-se no começo do braço. Nesse caso, é preciso tirar o braço, para que se possa regular. Apertando (sentido horário) corrige-se a “empenada” para frente, enquanto que ao soltar está se corrigindo a “empenada” para trás. A “empenada” para frente dá aquela sensação que as cordas estão muito altas, a “empenada” para trás faz com que a guitarra “trasteje” muito (aquele som de lata). É importante checar se esse problema existe, pois se o braço estiver “empenado” ou “torcido” e assim permanecer por muito tempo, será difícil consertá-lo, porque ele poderá se estabilizar nessa situação.

Um outro cuidado básico é como guardar a guitarra -com a frente dela sempre voltada para a parede ou para o chão- pois assim você não se estará colocando mais pressão além das cordas sobre o braço.
Como já foi dito, guitarristas técnicos gostam das cordas “coladas” no braço, isto é, bem próximas a ele, mas reclamam que “trastejam” demais. É impossível uma ação de corda baixa sem “trastejo”, mas ao meu ver, mesmo “trastejando”, contanto que as notas não sejam “engolidas”, não há motivo para se preocupar, procure sempre um bom “luthier”(pessoas especializadas em regulagens de instrumentos) para cuidar desse assunto. [Fonte: violaoeguitarraon-line]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: